12 dúvidas mais frequentes das gestantes no consultório

12 dúvidas mais frequentes das gestantes no consultório

A gravidez é um momento importante na vida de toda mulher. Muitas mudanças acontecem no corpo e afetam até o emocional das futuras mamães. Por isso é comum que muitos questionamentos apareçam. E a dúvida que você tem, provavelmente, está entre as dúvidas mais frequentes das gestantes de forma geral.

Neste artigo, você vai encontrar as respostas para as 12 dúvidas mais frequentes das gestantes. Continue lendo e confira!

Veja as respostas para as 12 dúvidas mais frequentes das gestantes

  1. Sentir tanto cansaço é normal?

Sim. A gestação é um processo que exige muito do organismo materno, principalmente nos três primeiros meses. As mudanças hormonais bruscas no primeiro trimestre são as principais responsáveis pela sensação de cansaço e sono, mas ao longo da gestação você também pode se sentir cansada porque está carregando um bebê. Para lidar com o cansaço, respeite seu corpo e descanse sempre que possível. A realização de atividade física regular também pode amenizar o cansaço e proporcionar bem-estar.

  1. Posso praticar exercícios físicos?

Sim. A prática de atividades físicas próprias para o período gestacional trazem grande benefício para a mamãe. A menos que sua gestação seja de risco e o médico tenha recomendado repouso, você pode e deve praticar exercícios físicos. Atividades físicas são muito benéficas, ajudam a fortalecer a musculatura e o corpo antes do parto, além de auxiliar no adequado ganho de peso. Entretanto, nem todos os exercícios são indicados para gestantes. Por isso, busque orientação e supervisão de um profissional fisioterapeuta ou educador físico.

  1. Quando os enjoos vão acabar?

Enjoos são muito comuns no início da gestação, principalmente nas primeiras horas da manhã. Os sintomas tendem a melhorar a partir do segundo trimestre, um pequeno número de gestantes podem sofrer com enjoos também no segundo semestre ou até o fim da gravidez.

  1. Posso tomar café durante a gravidez?

O recomendado é reduzir ao máximo a ingestão de bebidas com cafeína durante a gestação. A cafeína pode ser prejudicial para a saúde do bebê, por provocar vasoconstrição e poder, por exemplo, aumentar o risco de restrição de crescimento do feto. Considera-se como medida segura uma xícara ao dia, ou o equivalente a no máximo 200mg de cafeína ao dia. Importante lembrar que a cafeína também está presente em chás (preto, mate, verde, branco), energéticos , refrigerantes e chocolates.

  1. O que eu não posso comer durante a gestação?

Buscar o equilíbrio na alimentação é o melhor caminho para evitar erros. As gestantes devem fazer de quatro a seis refeições por dia, em porções menores. Além de ter uma alimentação diversificada.

Um cuidado importante, principalmente para as pacientes não imunes a toxoplasmose, é lavar e higienizar adequadamente legumes e verduras cruas, e não consumir carne vermelha mal passada ou crua.

Alguns tipos de peixes também devem ser evitados como atum, cavala, peixe-espada, cação e garoupa, devido toxicidade do elemento mercúrio presente em maior quantidade nestas espécies.

Deve-se evitar também o consumo de alimentos processados e enlatados, e alimentos ricos em gorduras-trans ou gorduras hidrogenadas, como fast-food, biscoitos, bolos industrializados e frituras.

  1. Quantos quilos posso engordar?

O peso ideal para a gestante vai depender das condições biométricas de cada paciente. No entanto, a média de ganho de peso indicada para gestações é de 8 a 12 quilos. Tudo vai depender do Índice de Massa Corpórea (IMC) da gestante, podendo variar para mais ou para menos.

  1. Preciso tomar alguma vitamina ou suplemento?

A indicação de vitaminas ou suplementos vai depender dos exames clínicos que o médico solicitar para a gestante. Todas as pacientes que estão tentando engravidar ou gestantes no início da gravidez devem suplementar ácido fólico, vitamina do complexo B que ajuda a diminuir o risco de defeitos de fechamento do tubo neural do bebê e o risco de malformações. A suplementação de ferro também é recomendada pela Organização Mundial de Saúde para prevenção de anemia.

  1. Preciso tomar alguma vacina?

Sim, algumas vacinas como antitetânica e contra coqueluche (DTPa), contra hepatite B e contra gripe são indicadas durante a gestação. Porém, existem outras vacinas, como contra rubéola e febre amarela, que devem ser aplicadas antes da gestação e é indicado que a mulher não engravide pelos três meses seguintes à aplicação, pois são vacinas com vírus atenuado, que pode ser transmitido ao bebê. A vacinação contra COVID também é recomendada para as gestantes, seguindo protocolo do Ministério da Saúde.

  1. É normal sangrar no início da gravidez?

Cerca de 25% das gestantes apresentam algum tipo de sangramento no início da gestação. Deste percentual aproximadamente metade evoluirá para aborto espontâneo. Todo e qualquer tipo de sangramento deve ser investigado, independente do tempo da gestação. Alguns sangramentos são considerados comuns e de baixo risco, como por exemplo o que ocorre no período de implantação do saco gestacional, ou em casos em que a placenta implantou próximo do colo uterino.

  1. Posso ter relações sexuais durante a gravidez?

Sim. Apenas em alguns casos específicos as relações sexuais podem ser suspensas pelo médico, como por exemplo quando a gestante apresenta sangramento, risco de trabalho de parto prematuro ou localização baixa da placenta.

  1. Posso tingir o cabelo?

Sim, porém não pode utilizar qualquer produto. Durante o primeiro trimestre é recomendável evitar procedimento químico nos cabelos. Após o primeiro trimestre, a gestante pode usar produtos não-tóxicos, como xampus tonalizantes à base de henna.

  1. Como saber se estou entrando em trabalho de parto?

O trabalho de parto é definido por contrações rítmicas e dolorosas, com intervalo de 5 a 7 minutos entre cada contração e duração de aproximadamente 1 minuto cada uma.

Menos comum, mas situação que também pode ocorrer, é a ruptura da bolsa amniótica, caracterizada pela perda persistente de líquido claro, via vaginal. Neste caso, mesmo sem contrações, a paciente deve procurar atendimento médico e deve ser internada para monitoramento e definição do tipo do parto e em qual período realizar o parto.

Você tem alguma pergunta que não foi respondida neste artigo? Agende uma consulta com um obstetra da clínica Gênesis Obstetrícia e tire todas as suas dúvidas.

 

12 dúvidas mais frequentes das gestantes no consultório

Administrador

Compartilhar:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Veja Também