Prevenção da prematuridade: conheça os principais cuidados

prevenção da prematuridade

O nascimento do bebê antes do tempo previsto está entre as tantas apreensões que uma mulher grávida pode ter. Não é para menos: o parto prematuro pode oferecer alguns riscos e consequências graves para a saúde da gestante e do seu filho. Por isso, é muito importante estar atento aos meios de prevenção da prematuridade.

Estima-se que, no Brasil, 340 mil crianças nascem antes do tempo anualmente. Isso é o equivalente a quase 12% de todos os partos do país. E o problema é sério: segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2019 a prematuridade foi a principal causa de mortalidade infantil no mundo.

Mas isso não quer dizer que um bebê prematuro não tenha chances de sobrevivência, pelo contrário! Com os avanços da medicina e da tecnologia, a sobrevida de recém-nascidos cada vez mais novos tem aumentado consideravelmente.

A maioria das crianças, inclusive, consegue se desenvolver bem e levar uma vida saudável. Porém, existem alguns cuidados que podem evitar o problema. Vamos conhecer alguns deles?

Quando um bebê é considerado prematuro?

Uma gestação completa tem entre 37 a 42 semanas. Se o bebê nasce antes disso, ele já é considerado prematuro (ou pré-termo). Existem alguns graus diferentes de prematuridade, que variam conforme a idade gestacional:

  • menos de 28 semanas – extremamente prematuro
  • entre 28 e 32 semanas – muito prematuro
  • entre 32 a 37 semanas – prematuro moderado a tardio

Como o bebê prematuro ainda não tem seus órgãos totalmente desenvolvidos, ele vai precisar de cuidados especiais. As consequências vão variar conforme a idade gestacional e a causa do parto antes da hora.

 

Complicações da prematuridade

A prematuridade pode acarretar distúrbios em diversos órgãos. É comum que bebês pré-termo tenham problemas pulmonares, cardíacos, hepáticos e neurológicos. Além disso, eles tendem a ter mais riscos de contrair infecções e desenvolver problemas congênitos.

Quando as complicações são mais leves, o recém-nascido precisa ficar alguns dias no berçário, recebendo suplementos e medicações para se fortalecer. Já em casos mais graves, pode ser necessária a internação na UTI neonatal.

Alguns distúrbios causados pelo nascimento antes da hora podem acabar se estendendo pelo resto da vida da criança. Por isso é tão importante ter um bom acompanhamento médico durante a gravidez, e tomar os cuidados necessários para a prevenção da prematuridade.

O que causa um nascimento prematuro?

O parto prematuro pode ter diversas causas. As principais delas são:

  • Doenças crônicas (como diabetes e hipertensão);
  • Pré-eclâmpsia;
  • Disfunções uterinas (como miomas, colo do útero curto e insuficiência istmo cervical);
  • Histórico de partos prematuros;
  • Aborto de repetição;
  • Rotura prematura da bolsa ou descolamento prematuro da placenta;
  • Infecções contraídas durante a gestação;
  • Gravidez de múltiplos;
  • Gravidez na adolescência;
  • Obesidade ou baixo peso (IMC menor do que 20);
  • Consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo.

É importante ressaltar que, muitas vezes, a mãe não tem nenhuma culpa pelo parto antes da hora. Dependendo do caso, o nascimento prematuro pode ser a opção mais segura tanto para a gestante quanto para o bebê.

Mas, para algumas circunstâncias (como as doenças crônicas e a pré-eclâmpsia), é sim possível buscar uma prevenção da prematuridade.

A importância do pré-natal para a prevenção da prematuridade

Não tem mistério: o passo mais importante para prevenir um parto prematuro é um pré-natal bem feito e iniciado antes ou logo no início da descoberta da gestação.

As consultas e exames regulares são essenciais, pois é através delas que o obstetra pode identificar problemas que possam desencadear em um nascimento antes da hora. Além disso, é imprescindível que a paciente siga rigorosamente todas as orientações médicas, especialmente em casos de gestação de alto risco.

Manter a saúde em dia, com bons hábitos alimentares e a prática regular de exercícios físicos, também é importante para minimizar condições que podem levar a um parto prematuro (como diabetes, hipertensão ou ganho excessivo de peso).

Mas, ainda assim, existem alguns casos em que o bebê pode nascer de surpresa. Por isso é importante ter um atendimento individualizado e que leve em consideração todo o seu histórico médico.

Portanto, nosso conselho é: cuidar da saúde desde antes da concepção, buscar uma equipe médica de confiança e fazer um bom pré-natal. Com essas atitudes, a gestação fica mais tranquila e é possível ter uma maior prevenção da prematuridade.

Tem alguma dúvida que não foi respondida neste artigo? Converse com o nosso time de especialistas!

Prevenção da prematuridade: conheça os principais cuidados

Dr. Giórgio Conte Tondello

Ginecologista e Obstetra - CRM 25100 | RQE 21592

Compartilhar:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Veja Também