Sangramento na gravidez, é normal?

Sangramento na gestação

Sangramento na gravidez é uma situação bastante comum. Acontece com muitas gestantes e nem sempre é uma indicação de risco para o bebê ou para a mãe. Porém, ao ser identificado, deve ser comunicado ao médico imediatamente. Afinal, também pode ser um sinal de alerta.

Aborto espontâneo e gravidez fora do útero (ectópica) são algumas das situações em que o sangramento pode acontecer. Neste artigo, você vai ver o que pode causar sangramento na gravidez, quando pode acontecer e o que você deve fazer. Continue lendo e confira!

O que pode causar sangramento na gravidez?

Diversos motivos podem causar sangramento na gravidez e alguns podem estar relacionados com o período de gestação. Entenda melhor a seguir.

Sangramento no primeiro trimestre de gravidez

Nos primeiros 15 dias após a concepção do bebê, a gestante pode ter um sangramento rosado que dura em torno de dois dias e causa cólicas parecidas com a da menstruação. É considerado como o primeiro sintoma de gravidez que a mulher pode apresentar, um teste deve ser feito para confirmar.

Por outro lado, é importante que a gestante fique atenta. Um sangramento mais intenso, em tom de vermelho-vivo, sendo acompanhado por náuseas e cólicas também pode indicar um aborto espontâneo ou gravidez ectópica. Nesse caso, procure um obstetra ou pronto-socorro imediatamente para ser avaliada.

Nos primeiros três meses de gravidez, existe também a possibilidade de a mulher sofrer com um corrimento de cor escura, como borra de café, porém sem qualquer relação com seu ciclo menstrual. Esse pode ser um indício de descolamento ovular, que pode causar um aborto.

Sangramento no segundo trimestre de gravidez

Depois de passar pelo terceiro mês de gestação, os sangramentos são menos comuns de acontecer. Quando acontecem, pode ter algumas causas, como:

  • descolamento da placenta;
  • aborto espontâneo;
  • placenta de inserção baixa;
  • infecção do colo do útero;
  • ferimento no útero causado por contato íntimo.

Ao identificar um sangramento na gravidez que já passou do terceiro mês, a gestante deve procurar um atendimento médico o mais rápido possível. Quando o sangramento é preocupante, em geral, é acompanhado de outros sintomas, como dor abdominal, febre ou diminuição dos movimentos do bebê.

Sangramento no terceiro trimestre de gravidez

Depois que a mulher completa 28 semanas de gestação, um sangramento pode ser um indício de trabalho de parto ou outros problemas, como placenta prévia ou o deslocamento da placenta.

Algumas mulheres podem apresentar um pequeno sangramento quando já estão no fim da gestação, por causa do trabalho de parto. Nesse momento, é quando acontece a saída do tampão mucoso e o rompimento das membranas. Esses sintomas costumam ser acompanhados de contrações irregulares e indicam que o bebê está prestes a nascer.

Ao identificar um sangramento nessa fase da gestação, a mulher deve avisar o obstetra e ir direto para o hospital. Nesses últimos três meses de gestação, a mulher também pode ter sangramento após o contato íntimo, pois o canal do parto está mais sensível.

Conheça outros fatores que podem causar sangramento na gravidez


Aborto espontâneo

O aborto espontâneo é um sangramento em coágulos, acompanhado por fortes cólicas. Para evitar perder o bebê, a gestante precisa ser socorrida imediatamente e ter uma avaliação médica. O obstetra vai identificar as causas do sangramento e tomar as medidas necessárias para tentar evitar o aborto ou, caso não seja possível, garantir a saúde da gestante.

Ameaça de aborto

Gestantes que apresentam sangramento moderado ou leve, sendo ou não acompanhando de cólicas, também moderadas, pode estar sofrendo uma ameaça de aborto. O quadro clínico, nesse caso, não costuma ser preocupante, pois o colo uterino ainda está fechado, o volume uterino é compatível com a idade da gestação e na ultrassonografia os resultados estão normais.

O médico vai indicar alguns medicamentos para diminuir a dor, além de repouso e abstinência sexual até o sangramento acabar. A gestante deve ficar em alerta se os sintomas persistirem ou se apresentar febre e dor pélvica localizada. Nesse caso, procure um atendimento médico imediatamente.

Implantação do embrião no útero

Esse tipo de sangramento acontece por causa da acomodação do embrião no saco gestacional, por isso é comum nas primeiras semanas de gestação. Porém, muitas mulheres sofrem com esse sangramento sem saber que estão grávidas e acabam confundindo com menstruação.

O sangramento não é preocupante, mas caso persista, pode indicar um descolamento do saco gestacional. Nesse caso, é preciso receber orientação médica e passar por uma avaliação, pois um deslocamento muito grande pode levar a um aborto.

Em geral, o sangue acaba sendo reabsorvido e a gestação segue sem grandes problemas. Ainda assim, o médico pode indicar repouso, abstinência sexual e uso de progesterona.

Placenta baixa ou prévia

Placenta baixa ou prévia é a condição em que ela se instala próximo ao colo do útero ou em sua frente e isso pode causar um sangramento. Esse tipo de situação deve ser acompanhada de perto pelo obstetra, pois o bebê respira e se alimenta por meio da placenta. A placenta baixa ou prévia pode causar problemas para a gestação e dificuldades no parto.

O recomendado é que a gestante procure um obstetra logo no início da gestação para fazer todos os exames necessários e ter acompanhamento profissional para identificar precocemente esse e outros problemas.

Quer agendar uma consulta com obstetra? Entre em contato com o time de especialistas do Gênesis.

Dr. Ademir Reberti Obstetra Joinville

Dr. Ademir Garcia Reberti | Ginecologista e Obstetra - CRM 7743 | RQE 10785

Ginecologista e Obstetra - CRM 7743 | RQE 10785

Compartilhar:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Veja Também