Quem tem incompetência istmo cervical pode engravidar?

Quem tem incompetência istmo cervical pode engravidar?

A incompetência istmo cervical é um medo de muitas mamães, já que é uma condição que causa aborto espontâneo no segundo trimestre da gestação.

Mas a boa notícia é que a doença é tratável e é possível, sim, engravidar, mesmo tendo essa condição!

Neste artigo, vamos desmistificar e tirar algumas dúvidas sobre o tema.

O que é a incompetência istmo cervical?

Em uma gravidez normal, o colo do útero só dilata a partir das contrações do útero, quando o trabalho de parto é iniciado. Mas algumas mulheres têm o tecido dessa região um pouco mais “fraco”.

Logo, a incompetência istmo cervical (também chamada de insuficiência istmo cervical – IIC), acontece quando o colo útero não tem “força” para segurar o bebê. Com isso, ele acaba dilatando e cedendo antes da hora, causando um parto prematuro.

Essa dilatação é indolor e muitas vezes as mulheres descobrem a condição apenas quando o colo já se encontra dilatado, num período entre 13 e 28 semanas de gestação. Mas, em alguns casos, a paciente pode apresentar alguns sintomas. Os principais deles são:

  • pressão pélvica
  • contrações sem dor
  • sangramentos leves
  • alterações no corrimento vaginal
  • cólicas
  • dores nas costas

Estima-se que a incompetência istmo cervical acometa cerca de 0,5% a 1% das mulheres. Esse índice sobe para 8% quando a paciente já tem histórico de aborto espontâneo no primeiro trimestre.

O que causa a IIC?

É bastante difícil precisar o que causa o enfraquecimento dos tecidos do colo de útero. Normalmente, a condição parece estar atrelada a defeitos congênitos relacionados à genética.

Algumas malformações, como o útero bicorno ou septado, são fatores de risco para a incompetência istmo cervical. Doenças que afetam a produção de colágeno também podem favorecer o aparecimento da doença.

Outra possibilidade para a IIC são sequelas de traumas na região do colo uterino, geralmente provenientes de procedimentos nesta região, como cirurgias e cauterizações.

Como é feito o diagnóstico?

Por ser uma doença silenciosa e difícil de diagnosticar, geralmente o problema é identificado com base no histórico da paciente. Se ela já tiver tido abortos espontâneos durante o segundo trimestre, por exemplo, o médico pode suspeitar de incompetência istmo cervical.

Outro fator que pode acender uma luz de alerta é a observação de uma dilatação precoce durante uma consulta de rotina. Nesses casos, é preciso fazer um ultrassom transvaginal, para checar as condições do colo do útero.

Por isso o acompanhamento pré-natal é tão importante. As consultas regulares podem ajudar a diagnosticar precocemente diversos problemas e doenças – e ajudar no tratamento mais eficaz para que mamãe e bebê sigam saudáveis durante toda a gestação.

Qual é o tratamento para a incopetência istmo cervical?

O tratamento para a IIC vai depender do diagnóstico e do tempo gestacional da paciente.

O principal tratamento, após a identificação do quadro de IIC, é a Cerclagem uterina. Procedimento realizado idealmente entre 13 e 16 semanas de gestação, porém em algumas situações pode ser realizado até o período de 24 semanas de gestação. A cirurgia é feita com anestesia e consiste em “costurar” o colo do útero para mantê-lo fechado.

É uma intervenção relativamente simples e a paciente costuma receber alta no mesmo dia. Podem surgir pequenos sangramentos, sensação de incômodo na região pélvica e cólicas.

Se não houver contrações de trabalho de parto, ruptura das membranas amnióticas ou sinais de infecção, a Cerclagem é retirada com 36 semanas.

Para as pacientes que, mesmo realizando a Cerclagem vaginal, ainda apresentarem parto abaixo de 34 semanas, a Cerclagem via abdominal é uma opção  para a próxima gestação.

A incompetência istmo cervical causa uma gravidez de risco?

Infelizmente sim. Estima-se que a doença seja responsável por cerca de 16 a 20% dos abortos espontâneos no segundo trimestre de gestação.

Como a condição pode ser silenciosa e não apresentar sintomas, é extremamente importante ficar atenta aos sinais do seu corpo e fazer um bom acompanhamento de pré-natal.

Já no caso da paciente que já passou por abortos, a supervisão médica precisa ser ainda mais criteriosa. No caso de uma incompetência istmo cervical, o tratamento traz boas chances de que a gravidez transcorra sem mais problemas.

Mas, para isso, é preciso ter bastante cuidado e seguir à risca as orientações médicas. Ter uma equipe especializada e humana é ainda mais importante em situações como essa, e faz toda a diferença para que a gestante se sinta amparada e segura.

Se você já teve um aborto espontâneo e está pensando em engravidar novamente, nós temos um time altamente capacitado para te ajudar. Entre em contato conosco!

Quem tem incompetência istmo cervical pode engravidar?

Dr. Giórgio Conte Tondello

Ginecologista e Obstetra - CRM 25100 | RQE 21592

Compartilhar:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Veja Também