Gravidez tardia: tudo que você precisa saber

gravidez-tardia

Muitas mulheres passam anos de suas vidas tentando engravidar, mas por causa de questões hormonais não conseguem. Há também casos de mulheres que focam suas vidas na carreira profissional ou não pensam em ter filhos mais jovens. Em todos eles, quando atingem uma certa idade, a gestação vai se tornando um desejo difícil de alcançar e quando acontece é uma gravidez tardia.

A idade considerada ideal para uma mulher engravidar, nos dias de hoje, é entre 20 e 30 anos. No entanto, cada vez mais mulheres estão engravidando pela primeira vez após os 30 ou 35 anos. Nesses casos, é possível chamá-la de gravidez tardia? Quando é o período certo para a mulher engravidar? Quais são as complicações de uma gravidez tardia para a mulher e para o bebê? Entenda melhor sobre esse tema a seguir.

O que é gravidez tardia?

Há muitos anos que o conceito de idade ideal para ter filho tem mudado, estimulado pelos avanços da medicina e pelas mudanças de hábitos da sociedade. Nos anos 1960, por exemplo, a idade considerada como ideal para engravidar era entre os 18 e 25 anos.

Desde que esse conceito mudou, para a faixa de 20 a 30 anos, considera-se como uma gravidez tardia quando a mulher engravida após os 30. Isso porque os riscos de complicações aumentam conforme a mulher fica mais velha.

Conforme a idade vai aumentando, a mulher desenvolve mais chances de ter doenças e isso se estende para o bebê. Veja a seguir, quais são os riscos que uma gravidez tardia oferece para a gestante e para a criança.

Os riscos de uma gravidez tardia para a gestante

Pré-Eclâmpsia

Essa complicação é causada pela pressão arterial elevada. Os sintomas mais comuns de mulheres que apresentam pré-eclâmpsia são inchaço no corpo e dor de cabeça forte. Sendo descoberta de forma precoce, a pré-eclâmpsia pode ser tratada e controlada durante toda a gestação.

No entanto, diante de complicações, a doença pode comprometer a saúde do bebê e adiantar o parto. Um ponto importante é que não são apenas os casos de gravidez tardia que correm o risco de desenvolver pré-eclâmpsia. A obesidade também é fator de risco para o desenvolvimento dessa complicação.

Diabetes Gestacional

Outra complicação que pode acometer as gestantes que engravidam tarde é a diabetes gestacional. Inicialmente, a doença não apresenta nenhum sintoma específico, em geral, as mulheres sentem mais fome e sede, além da visão turva.

Ainda assim, muitas mulheres não se atentam a esses fatores. É chamada de diabetes gestacional, pois só aparece durante a gravidez e acaba quando o bebê nasce. No entanto, se não for tratada, diversas complicações podem ser causadas.

O tratamento consiste em manter uma dieta balanceada, atividades físicas moderadas e acompanhamento médico. O profissional vai monitorar a saúde da gestante e do bebê para garantir que a doença não está evoluindo e ambos estão bem. Mulheres que não seguem o tratamento indicado podem ter complicações e desenvolver uma diabetes crônica.

Hipertensão

A hipertensão é uma doença que causa sintomas como dores de cabeça fortes, dores na barriga, inchaço em diversas partes do corpo, visão turva etc. O tratamento para essa doença parece com o da diabetes gestacional, consiste em dieta e atividade física regular.

Assim como as outras complicações citadas anteriormente, a hipertensão não acomete apenas mulheres que estão em gravidez tardia. Qualquer gestante pode desenvolver essa doença, por isso é importante fazer o acompanhamento do pré-natal desde o início.

Os riscos de uma gravidez tardia para o bebê

Síndrome de Down

Um erro na divisão celular do bebê, durante a gestação, é o responsável por causar a Síndrome de Down. Uma condição em que seus portadores tenham três cromossomos no par 21 em vez de 2.

Ela está associada a gravidez tardia porque conforme a mulher envelhece, sua gameta envelhece junto. Uma mulher com 35 anos tem 0,5% de ter um filho com Síndrome de Down. Mulheres a partir dos 40 anos têm 1% de chance de ter um bebê com Síndrome de Down. Aos 45 anos, as chances aumentam mais, vão para 3% ou 4%.

Aborto Espontâneo

O risco de aborto espontâneo ou de o bebê morrer durante o parto aumentam de forma considerável em uma gravidez tardia. Uma mulher de 24 anos tem 7,8% de chance de sofrer um aborto, enquanto uma mulher de 45 anos tem 74,7% de chance de sofrer um aborto.

Mulheres nessa faixa etária que desejam engravidar precisam ser assistidas desde o início e ter consciência dessas condições, causadas por uma gravidez tardia.

Parto prematuro

Uma gravidez tardia também aumenta as chances de a mulher sofrer um parto prematuro – antes das 37 semanas. Nessa fase, o bebê pode não ter se desenvolvido por completo e isso faz com que ele seja mais suscetível a doenças e alergias. O pré-natal de mulheres que engravidam em uma faixa etária considerada como delicada, precisam de acompanhamento rigoroso para evitar um parto prematuro.

Embora ofereça alguns riscos e exija atenção redobrada, uma gravidez tardia também tem seus benefícios: a mulher está mais madura, sua vida financeira está mais estável, ela pode ter mais tempo para o filho e até ter acesso a mais informação e recursos.

A gestação é um momento lindo na vida da mulher, independente de sua idade, por isso merece todo apoio, cuidado e atenção. Se você deseja engravidar, mas está insegura por causa da idade, fale com nossos especialistas.

Dr. Kurt Neulaender Neto

Dr. Kurt Neulaender Neto | Ginecologista e Obstetra - CRM 25132 | RQE 20267

Ginecologista e Obstetra - CRM 25132 | RQE 20267

Compartilhar:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Veja Também